Ideias até ao infinito

Tatuei-me de alegria

Agosto 5, 2021
Tatuei-me de alegria - Joana Rasteiro

Algures em 2018 fiz planos para 2020. No ano em que iria celebrar os meus 50 anos, faria a minha quarta viagem ao Brasil e a minha primeira tatuagem, na companhia da querida amiga Sandra Mara Santos (com esta idade uma pessoa quer mesmo é viver a vida louca). Algures em 2018 nunca pensei que os planos fossem sair furados. Certo. Adiei a viagem ao Brasil. Mas a primeira tatuagem já cá canta!

Não era a tatuagem programada, mas foi esta que se foi desenhando na minha cabeça ao longo deste ano. Uma imagem ligada ao Movimento “Cartas, atalhos que aproximam”, que tanta ALEGRIA me tem trazido. E quando vi que a ‘artivista’ Joana Rasteiro tinha tatuado uma carta linda no seu corpo foi como que um sinal, um chamamento. Estava na hora de avançar. Nesse dia, caiu-me a ficha. A inspiradora Joana para além de ilustradora, também era tatuadora! Aqui a ‘cereja mais boa’, como ela carinhosamente chama às suas e aos seus seguidoras/es, não perdeu mais tempo.

Trocámos mensagens, áudios e e-mails (só nos faltou trocar cartas) e acertámos a data. Estava receosa, confesso. Tenho muito pouca tolerância à dor. Mas parece que a Joana leu os meus pensamentos e poucos dias depois da nossa primeira conversa, publicou um mapa divertido sobre as zonas do corpo versus intensidade da dor. Respirei de alívio. Na zona do punho (a que eu elegera para tatuar a minha ALEGRIA), o processo causava pouca dor. 

No dia 24 de julho, lá fui eu cheia de entusiasmo até ao estúdio da artista para fazer a minha primeira tatuagem. Que manhã de emoções! Conhecer o espaço da Joana ao vivo foi épico. Para quem segue esta miúda encantadora, pelo Instagram sabe do que falo. Nós vamos tendo flashes do seu espaço de criação, mas estar lá, poder descobrir os recantos, os detalhes é maravilhoso. Fui carinhosamente recebida (ela também só sabe ser assim). Tomei um café enquanto preenchi um questionário importante antes de iniciar a aventura. Depois testámos e simulámos o lugar onde iria ser desenhada a tatuagem. Os nervos foram dando lugar à coragem e, num abrir e fechar de olhos, estava deitada na marquesa pronta para que a arte da Joana se desenhasse a preto e vermelho na minha minha pele.  

A Joana Rasteiro imortalizou a ALEGRIA de escrever e receber cartas, na minha pele. Foi uma experiência incrível só possível com uma pessoa assim! Tatuei-me e sabes que mais? Não doeu nada!

Rosarinho

p.s.: – Se estás a pensar fazer uma tatuagem, a Joana ainda tem vagas para agosto 😉

    Parcerias