Ideias até ao infinito

Em estreia… “Os transportadores do sofá perdido”

Junho 15, 2021

Tenho a certeza de que conheces a plataforma de compras online Showroomprive.pt. E aqui esta miúda já é cliente deste espaço virtual desde 2018, até porque, dependendo dos artigos, conseguem-se “bons negócios”.

De qualquer forma, tenho uma regra que sigo “religiosamente” sempre que uso pela primeira vez um site de compras online, e com este não foi exceção. Assim tipo test drive, estás a ver?! Gosto de começar por coisas pequenas, de pouco valor, para ver como as coisas correm. Porque isto nunca fiando…

Só que, após aquela que acho que posso considerar uma já longa relação com a Shroomprive.pt, eis que me vejo no que me pareceu um remake do filme de 1981, dos génios da sétima arte George Lucas e Steven Spielberg, Os Salteadores da Arca Perdida versão “Onde raios anda o sofá?!” E sem passar pelo casting! Mas esta miúda até arranjou uma teoria sobre “que pasou“. Conto mais à frente. 

Passo a explicar como me transformei em Susanita “Jones” por 15 dias. Mas antes, e para dar ambiente, coloca a tocar a música que o grande John Williams compôs para este filme, para leres esta odisseia com uma banda sonora à altura.

A decisão

Um sofá novo era uma daquelas compras que esta miúda andava aqui a matutar há uma série de tempo, e até a própria da sala de estar já ‘pedia’ um extreme makeover. Com toda a situação da pandemia e confinamentos, etc e tal, uma pessoa passou a dar ainda mais importância ao conforto dentro de casa. E o meu anterior sofá, coitadinho, já estava para lá da idade da reforma dos sofás, que é como quem diz, já tinha cumprido o seu dever. Por estes dias, de cada vez que ali me sentava para ler ou para ver TV, quando me levantava, parecia que tinha estado numa centrifugadora. 🤦‍♀️

Então, após apurada ponderação e aconselhamento com o núcleo duro desta “chafarica”, e porque de x em x tempo a Showroomprive.pt “acenava” com umas promoções de mobiliário bem jeitoso e ainda estávamos em confinamento, lá me decidi. “Vai para 3 anos que sempre correu tudo bem, por que razão não há de correr agora?” Bora lá! Pilim junto, modelo escolhido e… Finalizar a compra! Está feito! Agora é aguardar. A data de previsão para a entrega: 22 de maio. Tudo certo!

A entrega

Aqui é que o cerdo começou a torcer o culo. (já vais perceber o porquê do espanhol)

Dia 19 de maio
Primeiro e-mail com “Informação sobre sua entrega de Showroomprive”, da transportadora, espanhola, dava-me indicação de que a mesma seria no dia 24 de maio, entre as 12h e as 15h. Uau! Até aqui – pensei eu – maravilha! Não é muito depois da previsão dada aquando da compra. Boa!

Dia 24 de maio
O entusiasmo era grande logo pela manhã. “Vamos colocar já os velhinhos sofás lá fora, no quintal, para facilitar a chegada do novo sofá-cama, com chaise-longue e tudo!” Levanta sofá (pesadoooos!), passa pela janela (o que vale ainda assim é ser um rés-do-chão), segura de um lado, vai para o quintal puxar do outro lado… Isto duas vezes. Missão cumprida. Sala desimpedida para receber o novo “tesouro”! Só que não.

Passaram as 12h… as 13h… as 14h… as 15h… basicamente, passou a tarde toda e nada. Nem sequer um telefonema a justificar, porque uma miúda sabe que imprevistos acontecem. E aqui começou a aventura “Os transportadores do sofá perdido”. O sofá vem de fábrica na França e segue para uma transportadora do país vizinho. Até aqui tudo bem. Só que não consegui sequer ligar para o número da transportadora que surge no e-mail, e continuava sem receber qualquer informação que fosse sobre o sucedido.

Toca de pôr o chapéu e agarrar no chicote e enviar pedidos de informação pelos formulários próprios das respetivas plataformas – tanto para a transportadora como para a Showroomprive -, por forma a conseguir obter uma justificação para o sucedido e aguardar. Só no dia seguinte recebi uma resposta ao meu pedido de esclarecimento, da parte do site, mas a dizer que têm 6 dias úteis para perceber junto da transportadora o que se passou. Say whaaaat?! Escusado será dizer que ripostei a dizer que achava inaceitável tanto tempo para me dizerem o que se estava a passar com uma entrega que era para ontem.

(entretanto… “Bem pessoal, se calhar, é melhor voltarmos a colocar os pré-reformados sofás cá dentro, senão passamos o serão como manda a tradição oriental… no chão”) De novo, levanta sofá, coloca na janela, segura do lado do quintal, entra em casa para puxar do outro lado… mais duas vezes.

Às páginas tantas, comecei a brincar com o assunto, para não stressar. É que se há coisa que tenho aprendido ao longo da vida, é que não vale a pena aborrecer-me com aquilo que não controlo. E também, verdade seja dita, na página onde podes seguir as várias etapas da entrega, continuava em transporte… por Madrid, mas em transporte. Foi esperar e nos entretantos… “Primeiras!!! A sentar o culo na chaise-longue!” Só que (ainda) não. Mas esta passou a ser a private joke cá em casa por estes dias. 😜

Dia 31 de maio
O telemóvel toca. O número é de Espanha. Olé! – gritei para dentro. Do outro lado, uma voz feminina diz-me algo como “Hola! Estoy llamando para concertar una cita para lo día 2 de junio”. Ao que yo pergunto “que ha pasado?”, e ela responde-me “perdona la molestia”, mas nem porque isto ou por aquilo. Bem, mas pelo menos já havia contacto. Após desligar, novo e-mail com confirmação da nova data: 2 de junho, entre as 12h e as 15h. Yay! Já podia tirar o meu chapéu de Susanita “Jones” e guardar o chicote, porque dali a 2 dias chegava o “sofá perdido”.

Dia 2 de junho
Ainda assim, desta vez, decidi diferente: “Vamos só afastar os velhinhos e quando chegarem com o sofá, logo os colocamos no quintal.” Terá sido um feeling?! Passaram as 12h… as 13h… as 14h… as 15h… Sensação de déjà-vu! Nada. Novamente, nem sofá, nem telefonema, nem e-mail, nem nada. (coloca a música de novo)

Vai de vestir mais uma vez a indumentária de Susanita “Jones” para enviar novas queixas nos formulários das duas páginas, porque mais uma vez não conseguia ligar para o número de Espanha. E vai de continuar a rastrear a entrega e, pelo que via, andavam às voltas em Madrid, pois o raio do “sofá perdido” ora estava “en tránsito” ora “descargado”, mas sem sair da capital espanhola. Confesso-te que o meu receio era entrar na página e terem-no dado como entregue, mas tal não aconteceu.

Dia 3 de junho
Logo de manhã, quando liguei o computador, novo e-mail. Desta vez, com um “procederemos à sua entrega no dia 7 de junho, entre as 12h e as 15h”. Escusado será dizer que, a esta altura, já me ria e já estava conformada que estava no meio de uma verdadeira saga à Indiana Jones! “Ok, vou desfrutar tranquilamente do meu fim de semana e segunda-feira logo se vê.

Dia 7 de junho.
Às 10h56 da manhã, o telemóvel toca. Número espanhol. Do outro lado uma voz masculina. “Hola! Estoy llamando para concertar la cita en 30 minutos! Puedes darme la localización por SMS?” E eu: “Siiiiiii!” Finalmente!!! … ah! Mas espera aí, ainda fui apanhada noutra “armadilha”, é que o belo do sofá (e é belo mesmo, para mim, pelo menos) vem à moda IKEA, os muchachos só o “descargan” mesmo. Queres sofá-cama com chaise-longue, prepara-te para umas boas horas a juntar as peças! Agora, queres saber a minha teoria? Eu acho que os espanholitos sabiam que as paredes da sala precisavam do tal extreme makeover e resolveram adiar a entrega para que estivesse prontinha quando chegassem!  

Desfecho desta saga, ao final do dia, esta miúda pôde finalmente arrumar o chicote e o chapéu de Susanita “Jones” no espaço por debaixo da tão desejada chaise-longue e estender-se nela!

Susana Figueira

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias