Clube de Leitura - Livros à Sexta Ideias para a agenda

Dois Reinos Negros, o fim está próximo

Janeiro 14, 2021
Dois Reinos Negros

Tudo começa 400 anos antes do nascimento das três irmãs.
Este é o terceiro e penúltimo livro da saga de Kendare Blake. Ainda não foi desta que o meu coração acalmou, apenas ficou “na berma de uma estrada que curva para leste” a aguardar o desfecho que se adivinha muito intenso e, quiçá, imprevisível. 

Estas três irmãs, três rainhas negras com os seus poderes, dão comigo em louca neste terceiro livro. Fiquei num estado de nervos que se fosse miúda de roer as unhas, por esta altura elas já estavam no sabugo. 
Como se as aventuras de Mirabella, Arsinoe e Katharine não fossem suficientes para ocuparem o meu espaço imaginário, ainda sou atormentada pela névoa enigmática da Rainha Azul e pela profecia sobre Jules – a tão desejada Rainha da Legião? Muitas rainhas para um só trono, que já está ocupado por Katharine que dentro do seu corpo, mortalmente tóxico, tem as rainhas mortas. Eu não disse que eram muitas rainhas? Para atingires este nível de entusiasmo em que me encontro tens de ler toda a saga. 

Se 2020 me trocou as voltas e não me deixou apanhar os aviões planeados, através das páginas de “Dois Reinos Negros” fartei-me de viajar: Indrid Down, Rolanth, Wolf Spring, a cidade de Bastian, o Continente, Volroy, Centra, Sunpool… Uma canseira! Mas pelo menos fui feliz nestes locais de faz de conta e muito bem desenhados pela autora. Por estas terras, a tradição já não é o que era e a rainha no poder sofre de ansiedade crescente só de pensar que as irmãs estão vivas e não foram mortas comme il faut. Como se essa preocupação não fosse suficiente, em Fennbirn corpos surgem nas praias… Tenho ou não tenho razão para ficar, também eu, num estado de ansiedade? A autora tem o dom de introduzir reviravoltas constantes na história e isso não é magia baixa. Pois não? É saber agarrar-nos do princípio ao quase fim (esse só no quarto livro).

Afeiçoei-me a estas três rainhas, personagens muito bem construídas, e apesar de Katharine estar quase a entrar na minha lista negra, não consigo deixar de gostar dela. As irmãs são vítimas de um sistema montado muito antes de terem nascido. Que culpa têm? A verdade é que esse sistema está obsoleto… Será? Por que razão o povo da cidade de Bastian quer ver Jules coroada Rainha da Legião? Porque o povo não tem fé na rainha que está no poder. E o povo é quem mais ordena!

Não estou a ser muito spoiler, pois não? Apenas quero deixar aqui alguns highlights para aguçar o teu apetite por esta saga. Terás sangue, terás momentos ternurentos, terás situações de limite, terás algum terror, terás um trono por ocupar.

Obrigada Porto Editora, por trazeres magia à minha vida com estas rainhas. 

“O fim está próximo”.

Sobre o primeiro livro Três coroas negras
Tive o privilégio de assistir ao lançamento do livro Três coroas negras, da autora Kendare Blake, com chancela da Porto Editora e apresentado pela simpática Ana Galvão.  Comprei a edição exclusiva Comic Con, com autógrafo da escritora e os primeiros dois capítulos do segundo livro.  “Três coroas negras” chegou  a Portugal em 2018 e foi best-seller do New York Times. A autora, uma das mais reputadas a escrever sobre o universo feminino, tem um mestrado em Escrita, pela Middlesex University e esteve, virtualmente, presente no lançamento através de uma entrevista que deu à Ana Galvão e que foi previamente gravada. Mas deixem-me desvendar o véu destas Três Coroas: “A cada geração, na obscura ilha de Fennbirn, nascem três irmãs gémeas que terão de conquistar o direito à coroa, lutando por ele até à morte.” Estas três irmãs são muito especiais: a Mirabella domina os elementos da natureza, a Katharine ingere venenos mortais e sai ilesa do festim e Arsinoe que ao que parece é capaz de fazer florir a rosa mais vermelha e controlar o leão mais feroz. Já se está a perceber que a luta pela coroa vai ser muito animada!

Sobre o segundo livro Um trono Negro

Rosarinho

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias