Ideias até ao infinito

Entre o sono e a imaginação

Dezembro 3, 2020
Entre o sono e a imaginação

Numa noite, entre o sono e a imaginação, os meus olhos admiraram este postal, enviado por uma amiga poeta. Li o que ela escreveu. E senti que merecia uma resposta. A caneta e o bloco companheiros lunares ajudaram-me a compor uma short story inspirada nesta “Tranquilidade” (original pintado com a boca por Ruth Christensen).

Sentou-se no vasto areal. Os pés procuraram abrigo nos grãos de areia. Observou as pequenas ondas que saboreavam a madeira salgada do barco. Sentia uma calma imensa e o cheiro a café acabado de fazer. 
As cortinas do seu abrigo estival espreitavam envergonhadas pelas janelas e sussurravam o seu nome.

Deixou-se ficar agradecendo os primeiros raios de sol que nasciam no horizonte. Respirou o amanhecer e o aroma a torradas no ponto certo. Sorriu. Não precisava de mais nada para ser feliz,  a não ser do abraço que a envolveu numa doce vertigem.

Tranquila, desejou que aquela aguarela fosse a eternidade.

entre o sono e a imaginação

Resumindo:

Isto é o que acontece a uma miúda que tem passado os últimos meses a escrever. Viciada, não consegue parar, e conta pelos dedos os dias que faltam para a chegada do seu primeiro livro.  Daqui a NADA vou tê-lo nas minhas mãos.

Rosarinho

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias