Clube de Leitura - Livros à Sexta

Livros à Sexta: (Re)Encontro(s) no digital

Outubro 20, 2020

Tenho que desabafar uma coisa contigo: no dia em que foi novamente decretado o estado de calamidade para todo o país, as miúdas foram abaixo. Revoltaram-se, gritaram e até choraram. Porquê?, perguntas tu. Porque estávamos em vésperas de mais uma sessão do Clube de Leitura – Livros à Sexta e foi-nos retirada a possibilidade de passarmos mais uma tarde recheada de partilhas de leituras em excelente companhia.

Sim, I know, só que, apesar das novas tecnologias serem muito úteis e permitirem maior proximidade entre as pessoas que estão longe, e isso ser maioritariamente bom, continuam longe de substituir os Encontros entre pessoas. O olhos nos olhos, sem ecrãs. As expressões faciais. As emoções. Aquela emoção na voz de quem partilha as sensações muito cá de dentro que uma leitura provocou. Pronto, é isto! Já desabafei…

Assim, enxugámos as lágrimas, arregaçámos as mangas e preparámo-nos para regressar às plataformas digitais, para reunirmos um belo grupo de entusiastas leitoras em torno do tema (Re)Encontro(s), que havia sido escolha da nossa querida Maria João Covas e que se desdobrou em possibilidades imensas (já espreitaste o seu canal de YouTube? LivrosGosto, acho que vais gostar). Por isso, prepara um chá bem quentinho (que parece que o inverno já está ao virar da esquina), senta-te confortavelmente e lê como vivemos estes últimos tempos de (Re)Encontro(s).

Nas páginas de “Terra Americana”, de Jeanine Cummins, a Vanda Varela Lima teve um (Re)Encontro(s) com uma história dura, que lhe custou a ler, sobre a luta pela sobrevivência de uma jovem mãe, dona de uma livraria no México, e do seu filho que se veem obrigados a fugir, após a morte do marido às mãos de narcotraficantes. Só que a Vanda não se ficou por aqui e leu ainda “A espera de Fernanda”, da jornalista Maria Cláudia Rodrigues, baseado em factos e personagens reais, que conta a história desta mãe que move mundos para ir ao Encontro da verdade sobre a morte do seu filho, que foi apontada como suicídio.
E queres saber uma coisa? A Vanda está tão inquieta que nos confessou ainda que já tinha Encontrado as páginas de “A Sombra do Vento”, de Carlos Ruiz Zafón.

Já a nossa querida Carla Santos (sim, a autora da rubrica Palavras ao a(o)caso no blog) partilhou connosco o seu (Re)Encontro com Isabel Allende nas páginas de “O meu país inventado”, onde também elas, segunda a Carla, falam de um (Re)encontro da autora com a sua terra natal, o Chile.

De histórias mais duras, passámos para leituras mais leves, mas também elas cheias de profundidade. A Luísa Lavado, amante confessa de autores japoneses, marcou Encontro com as páginas de “The Guest Cat”, de Hiraide Takashi, um livro que fala sobre mudanças na vida e sobre, precisamente, nos (Re)encontrarmos a nós mesmos. Porém, tal como a Vanda, a Luísa não se ficou por aqui e decidiu (Re)encontrar-se com a sua infância no clássico de Mark Twain, “Tom Sawyer”.

Um pequeno aparte, que acho que vais gostar muuuuito…

Então não é que neste Clube de Leitura há dois “cãopanheiros” de leitura muito especiais que dão quase sempre um ar da sua graça quando reunimos via plataformas digitais?! Pois é, apresento-te o fofucho do Buggy ao lado da Vanda Varela Lima, e a linda Leah, da Luísa Lavado, que este ano até já teve direito a um autógrafo do João Tordo. A sortuda!

Avançámos, ou será melhor dizer, recuámos no tempo e ficámos a saber do (Re)encontro com a História (com H, sim) da Helena Manso nas páginas de “D. Manuel I – Duas irmãs para um rei”, de Isabel Stilwell, género literário muito apreciado pela Helena.

Nas 1088 páginas de “Diz-me quem sou”, de Julia Navarro, e que já passou pelo clube aquando da temática Peso, a Luísa Cipriano deixou-se envolver por esta interessante história sobre um jovem jornalista convidado por uma tia a escrever sobre a sua bisavó. E a forma como ele vai Encontrando a história desta mulher forte, ao longo de todo o século XX, é também uma maneira de ele se (Re)encontrar com a sua própria história.

Os capítulos de “A Gorda”, de Isabela Figueiredo, deixaram a Beladina encantada. Cada um deles é uma divisão da casa – O quarto de solteira ou A sala de estar – e representam os Encontros da protagonista com as várias fases da sua estória, bem como dois dos mais importantes (Re)encontro(s) da sua vida: com os pais e com o grande amor da sua vida.

A Vanessa Pinto decidiu (Re)encontrar uma das mais marcantes personagens da História mundial do século passado: Nelson Mandela. Escrito pelo jornalista Richard Stengel, nas páginas de “O legado de Mandela” acompanhamos três anos da vida daquele que foi um ser humano extraordinário.

Mantendo-nos por terras africanas, a Margarida Rebelo foi ao (Re)encontro das suas raízes através das páginas de “Os Colonos”, de António Trabulo, uma história baseada em factos verídicos, daqueles que partiram em busca de uma vida melhor e que se apaixonaram por uma terra que transformou as suas vidas.

De África saltámos para a Turquia, com a Cláudia Pacheco a falar apaixonadamente de “Três Filhas de Eva”, de Elif Shafak, contando-nos que esta história vai-se desenrolando numa lógica de Encontros e Reencontros. Segundo a Cláudia, a autora é uma apaixonada pelo seu país de origem, mas muito crítica em relação à sua política e, por isso, anda numa constante procura do seu país.

E, de repente, viajamos até… ao Alentejo. Mas só de passagem, pois a querida Márcia apenas nos quis contar que já leu o segundo romance do nosso grande amigo elvense Nuno Franco Pires, “Um dia a aldeia acabou”. Pensando bem, também não deixa de ser uma história de (Re)Encontro(s). Porém, a escolha da Márcia para a temática foi outra. 15 de julho de 1988 é o ponto de partida para esta história sobre dois jovens cujas vidas cruzam na noite em que terminam os seus cursos e é também o dia que vamos acompanhar, a cada ano, nas suas vidas. “One Day”, de David Nicholls, é uma verdadeira história feita de (Re)Encontro(s) e também Desencontros.

Algumas das presentes reviveram um (Re)Encontro com uma das personagens mais queridas da literatura e que já protagonizou um Clube de Leitura… Estou a falar de “O Principezinho”. Só que não foi nas páginas da obra de Antoine de Saint-Exupéry que a Fátima (Re)Encontrou esta personagem, antes na espécie de spin-off que é “O Regresso do Jovem Príncipe”, de Alejandro Guillermo Roemmers. O autor argentino ‘pegou’ na personagem de Saint-Exupéry e transformou-a num adolescente que embarca numa viagem de autoconhecimento com o autor, nestas páginas pela Patagónia.

Por fim, foi por um triz que a Rosarinho não entrou nesta sessão com uns botões no lugar dos olhos, já que também ela Encontrou a porta secreta de “Coraline e a Porta Secreta”, de Neil Gaiman. Por detrás desta porta há todo um mundo paralelo que atrai Coraline, mas que se vai revelando nefasto levando esta jovem a (Re)encontrar o seu amor pelos pais. Só que a Rosarinho quis ter um outro Encontro, o primeiro, com Edgar Allan Poe nas páginas de “Os Crimes da Rua Morgue e outras Histórias”. E diz a miúda que gostou da experiência do seu primeiro Poe.

A terminar, partilhei aquele que foi também um primeiro Encontro para mim com a escrita do jovem autor Raul Minh’Alma, nas páginas de “Ganhei uma Vida Quando te Perdi”, em que ficamos a conhecer a história da jovem Alice, que sofre um desgosto amoroso e na tentativa de apagar Gustavo da sua vida, literalmente apagando as suas memórias, ou seja, perdendo uma parte de quem é, acaba por Encontrar-se.

Agora, estamos a “fazer figas” para que o estado de calamidade seja levantado, para que no próximo dia 20 de novembro possamos (Re)Encontrar-nos todas numa bela tarde de partilhas. Desta vez, deixamos de lado os temas e vamos todas ler a sugestão que nos foi lançada pelo Ricardo Gomes da RG Livreiros: Stoner”, de John Williams!

Até lá e boas leituras!

Susana Figueira

  • Reply
    Margarida
    Outubro 21, 2020 at 12:03 pm

    Gostei muito do nosso (Re)encontro de livros!
    A aguardar um (Re)encontro presencial!
    Continuem!
    Beijinhos
    Margarida Rebelo

Escreve aqui o teu comentário

Parcerias