Ideias com asas

Nas asas da borboleta limão… ou os Passadiços do Paiva

Setembro 24, 2020
Passadiços do Paiva

Prevê-se que este post tenha 16 km de natureza em estado puro. Vamos dar 23.688 passos entre salgueiros e borboletas e queimar 706 calorias numa viagem de nível alto de dificuldade, com desníveis acentuados. Quanto aos degraus… Valha-nos São Miguel de Canelas! Anda comigo conhecer os Passadiços do Paiva, um verdadeiro santuário!

Passadiços do Paiva

Podia ter apanhado a boleia de uma Calopteryx ou de um escaravelho, mas não seria a mesma coisa, uma pessoa gosta mesmo é de dar trabalho aos gémeos.

De bilhetes comprados com mais de 15 dias de antecedência, mochila às costas e chapéu de palha na cabeça, a Rosarinho Exploradora estava preparada para mais uma aventura na natureza. Já sonhava com esta expedição há algum tempo. Os Passadiços do Paiva foram, muitas vezes, tema de conversas entre amigos e colegas de trabalho. Ao ouvi-los imaginava algo idílico e não me enganei. Habitualmente não parto com expectativas na bagagem, mas desta vez elas viajaram comigo, eram altas e foram superadas.

Se já passeaste lado a lado com o rio Paiva, sabes do que estou a falar. E é tão difícil descrever o que sentimos, o que vemos, o que absorvemos. Se não tiveste ainda a oportunidade de conhecer este paraíso, casa de espécies em vias de extinção na Europa, este post não conseguirá colocar em palavras a imensa beleza que se agarra à nossa pele.

Enquanto caminhava sentia-me em Lothlórien, a floresta dos Elfos. Parecia que estava num mundo de fantasia. Só que não. Era tudo real. Os cheiros, os sons, as águas bravas do rio que se entranharam em mim. Senti-me tão feliz, apesar do cansaço. Não é brincadeira. Caminhei de uma ponta à outra e de outra a uma ponta. Aquele verde, os amieiros, os freixos, os carvalhos encorajavam-me a continuar, a admirar os fungos, os líquenes e musgos das rochas.

Ao longo do percurso encontrei biospots que me apresentaram os moradores deste mundo protegido, intocado. É uma outra dimensão. Inexplicável. Quero tanto colocar em palavras a beleza que entrou pelos meus olhos, mas não consigo. Comecei a escrever de forma divertida, mas rapidamente este texto se transformou algo mais poético, como o voo da Aurinia. Não consegui fazê-lo de outra forma. Natureza é poesia.

Os Passadiços do Paiva aguardam a tua visita. Espero que as fotografias que partilho contigo e as palavras que aqui escrevi te convençam a conhecer este pedaço de Portugal vencedor, há 4 anos consecutivos, do prémio World Travel Awards.

Vai e voa nas asas da borboleta limão.
Rosarinho

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias