Ideias até ao infinito

Uma experiência do outro mundo

Julho 7, 2020

Ontem aconteceu ir a um centro comercial pela primeira vez desde que foi declarado o estado de emergência no país, ou seja, desde 16 de março. É verdade, não sei como foi contigo, mas esta miúda ainda não tinha colocado os pés numa grande superfície comercial. Até ontem.

Tinha de ir levantar uma encomenda e ia aproveitar para um dois-ou-três-em-um no ‘meu’ Cascaishopping.

Como já aqui o disse, estou em fase de ‘estudo de mercado’ para comprar um smartphone que substitua o velhinho Asus Zenfone 3 Laser, já caduco, tadito, mas estou com algumas reticências em adquirir o dito equipamento online. Por uma razão bem simples: é que no que a telemóveis diz respeito, gosto de pegar no aparelho, de o sentir e também de resolver logo algumas questões com os vendedores. Como por exemplo, “coloquem-me já a película protetora de ecrã que sofro de problemas de gravidade no que a smartphones diz respeito, ó faxavor”!

Enfim, mas a decisão ainda não está tomada (está quase, quase) e também não é sobre esta que quero falar. Até porque acabei por não conseguir visitar as Wortens e Fnacs da vida, por causa dos novos horários de funcionamento, e também já não me apeteceu ir ao hipermercado. No entanto, quero falar-te da experiência de ‘regressar’ a um centro comercial pós-estado-de-emergência-e-confinamento.

E é só estranho. Primeiro, parece que entramos naquelas mini-escolas de condução para crianças, com setinhas por todo o lado a indicar o trajeto que devemos fazer. “Vá por aqui. Siga por ali. Caminhe pela direita…” Depois, para entrar nas lojas, já sabes, temos de nos habituar… aguardas à porta, esperas que um funcionário te diga se podes entrar e só entras com o acessório must-have do verão 2020: máscara!

Ah e tens álcool gel à entrada do centro comercial e de cada uma das lojas, que deves usar. Por isso, prepara-te, se visitares várias lojas, sais de lá mais desinfetado do que o interior de um frasco de álcool! Enfim, parece mesmo uma coisa do outro mundo!

Portanto, toca a colocar máscaras na mala, no carro em todo o lado (já pareço o slogan da Rádio Comercial), para que não haja lugar a esquecimentos! É chato? É. Mas tem mesmo de ser assim, pelo menos até tornarmos estas novas regras num hábito do dia a dia, como pôr o telemóvel na mala ou pegar nas chaves de casa.

Olha, pensa assim como se fosse uma canção do Quim Barreiros: “Põe a máscara, tira a máscara, na hora de entrar no centro comercial!” :-p

Por aqui, tenho uma máscara reutilizável, que anda sempre comigo, tenho outra no carro, tenho uma das descartáveis na mala e, como às vezes troco de malas, acho que vou colocar uma em cada. Já para não falar nas de viagens. Não vá dar-se o caso de uma pessoa conseguir ir passear-se a qualquer lado.

E tu como estás a habituar-te a esta nova ‘normalidade’? Já foste ao centro comercial? Partilha com as miúdas.

Susana Figueira

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias