Ideias à solta

A Minha Vida em… Música

Maio 5, 2020

Fecho os olhos, entro na ‘máquina do tempo’ e viajo até ao verão de 1994… 😊

… acontece-me isto de cada vez que ouço qualquer música dos The Police (aliás, é quase sempre assim, quando escrevo sobre música, afinal, é sobre a banda sonora da minha vida que escrevo)! 😍

É que um “Greatest Hits” destes rapazes britânicos tocou quase em loop, durante os 3 ou 4 meses em que trabalhei nesse verão, na esplanada do restaurante O Veleiro (atual Grande Onda). É que o surfista-holandês-louro-cool-do-patrão (melhor dizendo, o filho da patroa, mas que era quem passava grande parte do tempo com a equipa, querido Willem) era fanzaço do trio Sting, Andy Summers e Stewart Copeland. E, deixa-me que te diga, ‘viciou-me’ no pop-rock-new-wave-pós-punk-reaggae-rock dos rapazes. Sim, uma super combinação de géneros explosiva e vencedora!

Ora, como é hábito ilustrar esta rubrica com uma música em particular, optei pela “Can’t Stand Loosing You”, mas poderia ter escolhido qualquer outra, já que todas elas me ‘atiram’ para a praia de Carcavelos no verão de 1994!

E o que teve de especial esse verão? Bem, foi nesse ano que terminei o Secundário e me candidatei à Universidade, por isso, decidi trabalhar durante o verão para ajudar a pagar as despesas que aí vinham. Sim, porque quem não nasce em ‘berço de ouro’ tem de fazer por isso. Por mim, tudo bem! Ainda por cima, ia trabalhar na praia, portanto… 5 ⭐ É claro que muito ajudou o ambiente descontraído que a combinação verão-bar-de-praia-gente-jovem proporcionou à experiência. Mas não penses que andávamos descansadinhos, nada disso! Esta miúda fartou-se de trabalhar!

Agora, tu queres saber é a parte mais interessante, não é?! É claro que a concessão tinha um nadador-salvador atribuído… hehehe… calma, não fiquem já a pensar que nesse verão cantei a versão Susanita feat Nadador-salvador de “Every Breath You Take”, ok. Até porque, na altura, esta miúda ainda era (muito) pouco… atrevida. :-p Era mais do tipo “Don’t Stand So Close To Me”, que me deixas louca, sem saber bem o que dizer, do género “De Do Do Do, De Da Da Da”.  ha ha ha

Só que, como não podia deixar de ser, o rapaz era um miúdo bem jeitoso, de seu nome… nãaaah não vou dizer! Vou chamar-lhe ‘Chris’ (como o Evans, pronto). Obviamente, as miúdas da equipa andaram doidas com o ‘Chris’, que além de jeitosão era divertido e uma simpatia. Lembro-me que estávamos sempre à espera que nos calhasse a mesma hora da refeição do ‘Chris’ para podermos deliciar-nos com a sua companhia e… a vista também! Enfim, girls will always be girls!

E foi assim que, entre cafés, refrigerantes e imperiais, tostas mistas e omeletas, saladas e sandochas, os The Police ficaram gravados na vida desta miúda, tipo tattoo, meeeesmo como uma verdadeira banda sonora de uma bela experiência de vida!

Susana Figueira

Curiosidade sobre os The Police: na formação original o guitarrista era Henry Padovani; só por volta de 1977, e já depois da entrada de Andy Summers, é que Padovani deixou a banda.

  • Reply
    Sandra
    Maio 5, 2020 at 3:34 pm

    Obrigada pela partilha de tão marcante memória ❤ e com tão bela banda sonora!

    • Reply
      Susana
      Maio 7, 2020 at 2:19 pm

      Obrigada pelas palavras, Sandra! É maravilhosa esta ‘banda sonora’, não é?! 🙂 Beijinhos

Escreve aqui o teu comentário

Parcerias