Ideias à solta

O Mundo dos Livros, by Anna

Fevereiro 6, 2020
o livro do mundo by Anna

Lá, onde o vento chora
Delia Owens

Todos os anos saem uma série de livros que são considerados imprescindíveis de ler, porque assim determina a moda, ou o mercado editorial. Às vezes, temos sorte e a proposta é boa, outras vezes, a única coisa boa é a grande campanha que rodeia o lançamento do livro e pouco mais.

Neste mundo peculiar está Where the Crawdads Sing (tive de consultar o dicionário on-line porque não fazia ideia do significado da palavra Crawdad no título, é uma espécie de lagostim de água doce, o que faz todo o sentido neste livro), traduzido em português como “Lá, onde o vento chora“, de Delia Owens é um autêntico bestseller e com excelentes críticas.

A história inicia-se no ano de 1969, na Carolina do Norte, quando umas crianças descobrem o corpo de um jovem. Porém, tudo começa realmente uns anos antes, quando a mãe de Kya, a personagem principal desta brilhante novela, abandona a família, incapaz de suportar os maus-tratos a que é subjugada pelo seu marido alcoólico. Para trás deixa Kya, de seis anos, e os irmãos mais velhos. O salto entre o assassinato de 1969 e o que acontece décadas antes resulta inquietante, porque a primeira coisa em que pensamos é que essa morte tem as suas raízes em segredos obscuros do passado.

Lá, onde o vento chora“, é a história da resiliência de Kya em não se deixar levar pela desolação. Como filha mais nova de uma família extremamente pobre que vive num pântano, os seus pilares são os seus irmãos e a sua mãe. Um a um, todos vão partindo deixando Kya só com o seu pai. A personagem tem, então, de aprender a sobreviver como pode, já que as ausências do pai são constantes e, por vezes, duram semanas. À medida que o tempo vai passando, ela vai-se fortalecendo e aprendendo a sobreviver com o que o pântano lhe dá.

Esta é a história de como Kya aprende a ser autossuficiente, de como vive uma união especial com a natureza, de como se torna mulher e aprende a amar e de como um dia, inesperadamente, se converte na principal suspeita de um crime.

A autora envolve-nos com uma narrativa cuidada e luminosa, rica em nuances e predominantemente descritiva, que nos transporta de imediato ao lugar e à época em que se desenrolam os acontecimentos. Temos de ter em conta, ao ler esta história, que se desenvolve durante os anos 50 e 60 na Carolina do Norte, condição imprescindível para que a mesma seja credível.

Sem dúvida alguma que as personagens são um ponto essencial que seduz o leitor. E Kya é uma personagem que nos conquista desde o momento em que a conhecemos enquanto criança, de seis anos, e mais tarde como uma jovem mulher, inteligente e sensível, que mesmo sofrendo tantos contratempos ainda mantém uma pureza ingénua que se infiltra no nosso coração.

O elenco de personagens não é muito grande, pois Kya vive muito isolada, mas gostei especialmente de Jumpin o dono de uma loja e posto de gasolina que será uma das poucas pessoas a prestar atenção à jovem e a ajudá-la.

Lá, onde o vento chora” é uma história de superação e crescimento, de amor pela natureza, de traições e fidelidades. Uma ode à liberdade e à vida, narrada de uma maneira delicada e com uma personagem central inesquecível.

Este é um livro que nos envolve por completo, e através de um ambiente selvagem vamos acompanhando a comovente vida de Kya. A escrita Delia Owens é de uma sensibilidade extraordinária, apresentando-nos muito bem as personagens e tornando a natureza uma protagonista tão presente quanto Kya.

Boa leitura!
Anna

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias