Ideias com asas

Uma miúda em Nova Iorque #2

Junho 20, 2018
Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-brooklyn-bridge

Ora vamos lá então até à Baixa de
Manhattan. 😊 Quero falar-vos de um dos ícones da cidade
de Nova Iorque, que vai muito para
além de marco da “cidade que nunca dorme”: a Brooklyn Bridge.

Eu avisei que haveria um post dedicado única e exclusivamente a
este ícone da cidade na primeira incursão sobre este périplo “uma miúda e Nova Iorque.

E perguntarão vocês, mas porquê
um post apenas sobre uma ponte?

Pois, acreditem que a Brooklyn Bridge não é uma ponte qualquer. Era, de entre todos os
ícones da cidade, a par com o Central Park, aquele que para mim era
obrigatório. Aquele que, sem saber explicar muito bem porquê, fazia mesmo
questão de ver, viver e sentir.

O passeio começou logo a valer a
pena ainda antes de pisarmos a ponte propriamente dita. É que perto da
entrada para o tabuleiro da Brooklyn
Bridge
, pelo lado de South Street Seaport, um pouco ao acaso, demos com uma
outra zona de que gostei bastante, de arquitetura antiga mas ‘renovada’, onde
se situa o Fulton Market e alguns bares e cafés com muito bom aspeto, que merecem uma visita. 


Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-fulton-market

Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-fulton-market-zone-downtown


Quanto
a nós, decidimos entrar no Jeremy’s Ale
House
. Como estava calorzinho, o grupo decidiu beber uma cervejinha para
refrescar.

E o Jeremy’s cativa logo pelo
ambiente descontraído e pela sua original decoração. Se duvidam, vejam lá as imagens…
os tetos estão todos escritos e desenhados e adornados com soutiens, muitos soutiens.
O que me fez pensar de imediato em duas coisas: 1º a cerveja deve ser mesmo boa e 2º em que estado deveriam estar as donas destas peças de roupa interior quando ali
as deixaram. 😉 hahaha


Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-jeremys-ale-house

Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-jeremys-ale-house-ceiling


De qualquer modo, avançando para a ponte, seja qual for o
motivo, o que senti quando pisei a Brooklyn
Bridge
não deixou margem para dúvidas! Eu tinha mesmo de pisar aquela
ponte! Simplesmente, amei a Brooklyn
Bridge
!

Fazer aquela travessia, da Baixa
de Manhattan até Brooklyn, deu-me uma sensação de estar a ‘viajar’ no tempo. É
que pisar a Brooklyn Bridge é sentir
o pulsar da história da própria cidade de Nova Iorque! É sentir a importância
desta ligação para os dois lados da cidade separados pelo East River!

Até a construção da ponte, uma
obra arquitetónica pioneira à época (do engenheiro John August Roebling,
inaugurada em 1883) – com pilares em arenito e granito e cabos de aço – lhe atribuiu
o título de ponte suspensa mais longa do
mundo
(1825 m) durante cerca de 20 anos (quando foi inaugurada a sua ‘vizinha’ Williamsburg Bridge, com os seus 2227 m).


Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-brooklyn-bridge-from-manhattan

 

Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-brooklyn-bridge-miúda-happy
Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-over-the-brooklyn-bridge-view-manhattan


Com este pequeno ‘pedaço’ de
história apenas quero dizer que tudo isto fica muito presente, quando estamos em cima do
tabuleiro da Brooklyn Bridge! Pelo
menos eu assim o senti. Senti a energia, o crescimento, a vida da cidade.

De um lado a vista alcança o East
Side da ilha de Manhattan, do outro o nosso olhar prende-se na paisagem de
Brooklyn que é, aos dias de hoje, quase uma cidade dentro da cidade! E um dos
locais que fiquei com vontade de explorar um pouco mais numa próxima visita a Nova Iorque. 😉
Depois de uma pausa no Brooklyn Bridge Park, à beira-rio, fomos
à procura da estação de metro para regressarmos à ilha de Manhattan.


Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-east-river-brooklyn-bridge-park


Em jeito de curiosidade, sabiam
que o primeiro nome atribuído a este ícone nova-iorquino foi New York and
Brooklyn Bridge? E que, antes de passar definitivamente a Brooklyn Bridge, ainda se chamou East River Bridge?

Num próximo post, vou contar-vos como vivemos uma noite em Greenwich Village, com
uma performance de jazz nova-iorquino, com sotaque europeu.
😉


Susana Figueira


Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-brooklyn-bridge-traffic

Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-pezinhos-na-brooklyn-bridge
Os meus pezinhos na Brooklyn Bridge… sim, tenho de tirar sempre esta foto
Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-primos-na-brooklyn-bridge
Selfie com o primo Pedro, com vista para Brooklyn

Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-brooklyn-bridge-from-brooklyn
A Ponte já do lado de Brooklyn. Simplesmente, adorei esta foto 💛

Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-primos-amigos-na-brooklyn-bridge
A dream team NY em cima da Brooklyn Bridge

Uma-miúda-em-Nova-Iorque-armazém-de-ideias-ilimitada-primos-amigos-at-jeremys-ale-house
O brinde no Jeremy’s Ale House


  • Reply
    Sandra
    Junho 21, 2018 at 5:08 am

    Muito bom! Ficamos com vontade de ir!

  • Reply
    Rosarinho
    Junho 22, 2018 at 1:17 pm

    Obrigada Sandra! 🙂 E sim, a vontade de viajar fica sempre cá, é como um vício, cada vez queremos mais e mais! Beijinhos

Escreve aqui o teu comentário

Parcerias