Ideias até ao infinito

São Silvestre dos Olivais – A corrida

Janeiro 4, 2016

Sei que já entrámos num novo ano, mas viajemos um pouco no tempo até à
passada 4ª feira, dia 30 de Dezembro de 2015, data da 27ª edição da corrida
anual de São Silvestre dos Olivais. Tantas noites anteriores para chover, logo a
chuva tinha que chegar nesse dia. Mas até aí tudo bem. Atleta que se preze
corre faça sol ou faça chuva. Por isso, lá fomos, uma grupeta de atletas, representar,
uma vez mais, o N.A.Z.A. nesta já mítica prova da capital. Apesar de ser a 2ª
vez que ía participar nesta corrida, e não conhecer bem a zona, apercebi-me
pelo mapa do percurso disponibilizado pela organização de que ia ser diferente.
E que diferença! Para começar, o percurso que no ano de 2014 teve cerca de 9km,
este ano fixou-se nos 10km, em virtude da prova integrar o Campeonato de
Estrada de Lisboa. Até aí, tudo bem. Quem faz 9km faz 10km. 
Depois, naqueles
minutos antes da partida, em que aguardamos em “contagem decrescente” para a
mesma, começou a chover! E é sempre agradável estar à chuva, à noite, parado
antes de iniciar uma corrida! Ainda na partida, ouvi alguns atletas (mais conhecedores
da área do que eu) dizer algo do género “quando chegarmos ao Vale do Silêncio é
que vai ser bonito”. Pensei para comigo (apesar do nome me soar familiar): “Calma
Susana, quando lá chegares logo se vê.” E bem vi!!! Posso dizer-vos que esta
parte da corrida fica já nos últimos 3km de prova, num percurso que começa a
descer, mas cuja altimetria é bastante variada, e quando passei a placa dos 7km
pensei para comigo: “Já só faltam 3km!” Quando entrei na dita área do Vale do
Silêncio, apeteceu-me voltar para trás, ir ter com os senhores da organização
da prova e sugerir-lhes que junto à placa dos 7km poderiam colocar uma outra
com a seguinte indicação: “Prepara-te para 3 km do inferno!!!” Uma subida que é
uma Senhora subida! Sem fim à vista e com uma inclinação que parece que estamos
mesmo a tentar subir dos infernos! O que posso dizer-vos? Subi. Subi devagar,
mas sem nunca parar, porque apesar das dificuldades o lema é sempre “parar não
é opção”. Se estou a dramatizar?! Bem, só posso esperar que a organização não
altere o percurso da prova este ano e lanço-vos aqui um DESAFIO: inscrevam-se
nesta prova em 2016.

Eu bem vos disse que este era o ano dos DESAFIOS! Ah, e só
para completar este relato, terminei a prova em 58’02”. É certo que piorei o
meu tempo aos 10km, mas juro-vos que quando vi aquela subida pensei que iria passar
a fasquia da 1h. Por isso, este último DESAFIO desportivo de 2015 foi superado!
Venham os de 2016!

Susana Figueira

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias