Ideias para a agenda

12.12.12 – Parte III

Agosto 27, 2012

    Foto de Adriano Miranda


Antes de começar as crónicas sobre a minha viagem a Londres é altura de voltarmos a pegar no assunto 12.12.12

Continuando a falar dos fotógrafos e das fotografias por detrás deste grande projeto, hoje o “tempo de antena” é do Adriano Miranda.
Natural de Aveiro estudou na Cooperativa de Ensino Artístico Árvore no Porto e completou o Curso Avançado de Fotografia no Ar. Co em Lisboa. Desde 1996 que é fotógrafo no jornal Público, tendo sido editor de fotografia entre 2001 e 2005. Foi Professor e Formador na área da Fotografia, lecionando no Ar.Co, no CENJOR e atualmente transmite os seus conhecimentos aos alunos do Instituto Politécnico do Porto. Já com vários livros publicados, Adriano Miranda está representado em várias coleções em Portugal e além-fronteiras.
Em 12.12.12, Adriano anda a fotografar em Aveiro, Coimbra e Porto, embora já tenha fotografado, também em Viana do Castelo e Alcoutim, já que segundo ele, “não temos o território estanque.” A célebre declaração de Cavaco Silva (PR), no Porto, em janeiro deste ano, em que disse que a sua reforma não dava para as despesas – “uma afronta a milhões de portugueses” – foi o mote inspirador para este seu trabalho fotográfico.
E assim Adriano anda “com uma cadeira e um porta-estandarte, com a bandeira nacional a fotografar reformados, desempregados, rendimentos mínimos, sem rendimentos, realizando uma fotografia oficial de PR no habitat natural (casa, emprego, etc.) das pessoas.” No fundo trata-se de “uma fotografia de pobres e desesperados com a maior dignidade como se fotografa um PR.”
Tal como irei pedir a todos os fotógrafos, Adriano identificou a palavra “INCONFORMISMO”, como sendo a que melhor retrata este projeto.
Legenda da Fotografia: 
Rui Costa, 47 anos, metalúrgico, trabalhava numa empresa de travões de automóveis. Desempregado há 4 anos, o patrão ficou-lhe a dever milhares de euros de salários em atraso. Atualmente o seu rendimento mensal é de 0 euros pois não tem direito a nenhum apoio do estado desde fevereiro de 2011.
Para saberem mais sobre o projeto:

    Escreve aqui o teu comentário

    Parcerias